Bem Vindos!

"Sejam felizes enquanto estiverem ouvindo a Web Radio Amiga, afinal a musica baileira transmite a alegria dos bailes e o aperto no caração de amores e paixões resolvidas ou não, mas que marcam nossa vidas e que gostamos de viver e reviver."



Horóscopo



terça-feira, 3 de julho de 2012

Grupo Oh De Casa e Dionísio Costa


No ano de 1997, o grupo Oh de Casa gravou seu 1º CD, com o título "Vida de Gaúcho". Neste CD de estréia regravou a música “Oh de Casa, de Honeyde e Adelar Bertussi, que empresta o nome ao grupo”.

O grupo sempre teve como objetivo levar a verdadeira música gaúcha para todos os rincões onde se apresenta, tendo como primeira inspiração os Irmãos Bertussi (pioneiros na jornada da música campeira e fandangueira) por quem o diretor Quadros e os integrantes do Oh de Casa mantém uma grande admiração.

Dionísio Costa é considerado um dos grandes compositores da música gaúcha, tendo suas obras gravadas pelos mais importantes nomes do regionalismo gaúcho. Muitos sucessos que viraram febre são composições de Dionísio Costa, e / ou de parceria com grandes autores: NAS FLORES DO JARDIM e GINETES DO BRASIL (Tchê Barbaridade), PRA NÃO FALAR EM CAVALO (Walther Morais), ME VOU PARA VANEIRA (João Luiz Correa), LUZ DO MEU RANCHO (Porca Véia), PRA CAMPEAR NAMORO (Os Serranos), EU TÔ GRANDÃO (João Luiz Corrêa), apenas para citar alguns. Depois de uma trajetória como cantor de conjuntos, tendo gravado cinco trabalhos como tal, já está participando do 7º Cd do grupo Oh de Casa que está sendo lançado neste mês Junho de 2012 onde tem grandes participações como: Os Monarcas, Os Serranos, Os Mirins, João Luiz Corrêa e Oscar Soares.

O grupo Oh de Casa e Dionísio Costa sempre lutaram e buscaram conquistar as coisas com humildade, honestidade e seriedade. Agora estão juntos, com a mesma garra e disposição!

"Agradecemos ao Grande Arquiteto do Universo, pela oportunidade de crescermos, conquistarmos fãs e amigos, e sermos bem recebidos em toda e qualquer querência, sempre levando alegria e gauchismo, sem fugirmos jamais do nosso ideal de gaúchos autênticos."

Um grande quebra-costela!

Atenciosamente

Eliandro Luz

Escritório Quadros Eliandro

Fone: (51) 3442.2640 - 9973.2749 - 9526.5583

ohdecasa@brturbo.com.br

Porto Alegre - RS

segunda-feira, 14 de maio de 2012

OS MONARCAS



Histórico

Aquele que procura a história do grupo musical OS MONARCAS principia uma viagem através do tempo e da própria evolução da música regionalista gaúcha. Depois de tantos anos dedicados à música gauchesca, pode-se dizer que a história do conjunto OS MONARCAS e a história da música regionalista gaúcha são fenômenos indissociáveis, chegando mesmo a se confundir.
Comecemos esta narrativa em 18 de janeiro de 1942, data de nascimento do fundador do grupo: Nesio Alves Corrêa, o Gildinho, como é conhecido. Nascido em Soledade, numa família humilde e numerosa, foi criado em meio às lides campeiras. Muito cedo ficou órfão de pai e talvez tenha herdado dele, que era acordeonista, um irresistível amor à música gaúcha. Com apenas 15 anos este piazito já "arranhava" uma cordeona nos autênticos e saudosos bailes de candeeiro.
Este rapazote, que acalentava sonhos de vitória, em 1961 botou o pé no mundo, deu de rédeas no destino e encontrou paragem em Erechim/RS. Meio acaboclado, mas cheio de determinação, Nesio iniciou, em 1963, o programa radiofônico "Amanhecer no Rio Grande", pela Rádio Difusão de Erechim. Com a audiência do programa, passou a animar pequenos bailes na região, em 1966, o convite para apresentar o programa "Assim Canta o Rio Grande", na Rádio Erechim, que esteve no ar até 1984.
Em 1967 boleou a perna para Erechim o Chiquito, irmão caçula de Gildinho e Herdeiro da mesma paixão pela música. Unindo forças formaram a dupla "Gildinho e Chiquito", que foi o embrião do Conjunto Musical OS MONARCAS. Sem dúvida que a dupla de irmãos gaiteiros passou por momentos difíceis. Durante alguns anos penaram trabalhando exclusivamente em pequenos bailes na região de Alto Uruguai, apresentando diariamente o Programa "Assim canta o Rio Grande" e estudando acordem na Escola de Belas Artes.
Em 1969, apareceu em Erechim um compositor sertanejo em busca de novos valores. Benedito Seviero preparou a dupla "Gildinho e Chiquito" para gravar o seu primeiro disco. Porém, o esperado LP transformou-se numa decepção para a dupla, que viu seus anseios limitar-se a um inexpressivo compacto duplo, que hoje, é amarga lembrança de um tempo em que a música gaúcha encontrava caminhos pouco acolhedores para sua expansão.
Talentos musicais em formação, a dupla de irmãos escreveu sua história com muita dedicação onde, deu-se início ao Grupo OS MONARCAS em 1972. E quando a dedicação é acrescida pela sorte, os resultados são astuciosos. Foi o que ocorreu em 1976, quando num destes acasos da vida em que a sorte bate à nossa porta, três músicos: João Argenir dos Santos - guitarra, Luiz Carlos Lanfredi - contra-baixo, e Nelson Falkembach - bateria, se juntaram à dupla "Gildinho e Chiquito", nascendo então o Grupo Musical OS MONARCAS.
A união destes cinco talentosos músicos resultou harmoniosa, harmonia que à "lo largo" só fez crescer o nome do grupo que em 1978 gravou o primeiro LP (O Valentão Bombachudo) e desde então não parou mais, gravando sucessivamente, com breves intervalos de tempo, pela Gravadora Warner/Continental.
O 11ª CD, instituído "Cheiro de Galpão", destacou-se no cenário musical. Segundo pesquisa editada pelo jornal TOPSON (Cone Empresa Jornalística Ltda), o referido disco foi campeão de vendas no Brasil, dentro os álbuns regionais lançados, vendagem que rendeu ao grupo, em 1992, o 1ºDisco de Ouro.
No LP Fandangueando (8º) estreou a voz de Ivan Vargas, o atual vocalista do grupo, integrado à equipe desde 1985. Em 1990, para substituir o Chiquito - que se desvinculou do Grupo OS MONARCAS para fundar o grupo "Chiquito e Bordoneio" - juntou-se ao grupo o talento de "Varguinhas", excelente acordeonista que tem dado um brilho especial aos fandangos em que toca os MONARCAS. E em 1992, veio somar-se aos MONARCAS a categoria da gaita-ponto do "Chico Brasil", premiadíssimo instrumentista, ganhador de vários troféus (mais de 40) dos rodeios que participou.
O CD, "Eu vim aqui pra dançar", rendeu o 2º Disco de Ouro a este conjunto que também tem em seu currículo uma indicação ao Prêmio Sharp. Na opinião da crítica especializada, no ano de 1996, OS MONARCAS foram os melhores na animação de bailes do sul do país. No último acorde, neste ano, o conjunto ganhou, com o CD Rodeio da Vida, o troféu de melhor disco do ano, com destaque para a originalidade.
No ano de 1997, receberam o troféu "Laçador", como o melhor conjunto de animação de bailes do Rio Grande do Sul. Neste mesmo ano em Setembro, na sede do Clube Operário, em Curitiba, receberam o Troféu de Melhor Conjunto de Música Regionalista do ano.
O ano de 1999 foi um período de muitas novidades para OS MONARCAS, como a mudança de gravadora, da CHANTECLER para a ACIT, a gravação do 1º CD pela nova gravadora "Locomotiva Campeira" e já no final deste mesmo ano podemos contar com presença de Vanclei da Rocha, na percussão, juntando-se ao grupo, com toda alegria da juventude, agradando ainda mais os fandangos por este Brasil a fora. Já no ano de 2000, podemos prestigiar a presença deste maravilhoso grupo gauchesco, num dos maiores programas de TV o "Ratinho", cantando Coisa Irritante do cd "No Tranco dos Monarcas", animando a todos e nos enchendo de orgulho.
No ano de 2001 a gravação do CD "A Gaita dos Monarcas", que causou uma grande euforia aos que apreciam uma boa gaita, imagina só, três gaiteiro, é para deixar qualquer um de beiço caído. E no final desse mesmo ano, a regravação de 23 grandes sucessos no CD 30 anos de estrada dos Monarcas, veio para completar a alegria do povo.
Em março de 2002, um dos prêmios mais esperado, se tornou realidade para este grupo na, 11ª edição "Prêmio Açoriano de Música" da Prefeitura de Porto Alegre em conjunto com a Secretaria Municipal da Cultura, na categoria de melhor grupo da música regionalista do estado. O selo "ISO TCHÊ", veio para confirmar a sua qualidade e autenticidade em tudo realizado. No início de 2003, podemos prestigiar o novo CD "Alma de Pampa", (22º CD), mais um trabalho gravado pela gravadora ACIT, com toda originalidade do tradicionalismo gaúcho.
OS MONARCAS - 30 anos de Estrada, com 23 grandes sucessos regravados rendeu ao grupo mais um Disco de Ouro (o 3º conquistado), que foi entregue em uma grande festa, em Erechim (na terra d´OS MONARCAS "como é chamada") no mês de novembro de 2003, pela vendagem de mais de 100 mil cópias. Já no início de 2004, veio à indicação ao Prêmio TIM DE MÚSICA, onde OS MONARCAS ficaram entre os três finalistas de todo o Brasil, na categoria grupo regionalista. O CD Só Sucessos está nas lojas com uma aceitação do público imensa, várias músicas lindas, mas uma em especial "O VENTO", não tem quem não goste.
Em abri de 2005, OS MONARCAS, receberam mais um Prêmio de PERSONALIDADE REGIONAL - TROFÉU LUCAS VEZZARO - no Clube do Comércio em Erechim/RS. Neste mesmo ano, em agosto, tiveram a participação no PROGRAMA RAUL GIL, divulgando a música gaúcha para todo o Brasil. Os músicos, além de interpretarem seus grandes sucessos, participaram do quadro do "Banquinho", onde os artistas brincam e concorrem a um prêmio simbólico em dinheiro. Essa experiência foi extremamente positiva. Foi um sucesso a participação d´OS MONARCAS no RODEIO DE BARRETOS/SP, na "NOITE DA VANERRA" e também uma excelente experiência.
Os Monarcas receberam do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, através da Secretaria de Estado da Cultura, o TROFÉU CULTURA GAÚCHA/2005 na categoria destaque musical no dia 26 de outubro em Porto Alegre.
O 4º Disco de Ouro da carreira pelo CD 'SÓ SUCESSOS', receberam em uma linda festa dia 14 de Janeiro de 2006, no CTG Galpão Campeiro, em Erechim, com a presença de mais de 1.500 convidados, fãs e amigos. Tour EUA em Maio, OS MONARCAS mostraram para os Norte-Americanos a música tradicionalista do sul.
As apresentações em Revere (Boston) no Clube Lido, e no CTG Distante da Minha Terra em Newark (Nova Jersey), foram um sucesso, o público dançou ao som fandangueiro d´OS MONARCAS.
É de se notar que este grupo, caracterizado especialmente por um ritmo de conotação alegre, fandangueiro, evolui paralelamente à música regionalista gaúcha, mas sempre mantendo seu estilo tradicionalista. Com 33 anos de estrada, o trabalho do Conjunto OS MONARCAS, com 26 CDs é um depoimento à causa gaúcha. Cada obstáculo resultou numa transformação positiva e a trajetória do grupo, numa efetiva contribuição à música regionalista do sul do país.
No mês de novembro de 2010 o grupo Os Monarcas conquistou mais um troféu, o seu primeiro DVD de Ouro, e como não havia de ser diferente, foi lá no Sitio Novo que receberam este premio. Em Dezembro, o Grupo recebeu o premio Vitor Mateus Teixeira, como melhor grupo de baile, e o Chico Brasil ganhou como melhor instrumentista deste ano.

Os Tiranos



"História"

O conjunto OS TIRANOS, foi fundado em abril de 1990 na cidade da São Francisco de Paula, RS., onde nasceu de muita dedicação, trabalho e estudo da música por parte dos irmãos Ângelo e Ricardo Marques, proprietários do conjunto.
Em 1991, com o apoio do Dr. Edson Dutra (conjunto Os Serranos), gravamos nosso primeiro disco em vinil, "Marca Serrana" pela gravadora RGE. A partir deste trabalho, o conjunto passou a ser conhecido dentro do cenário da música regional gaúcha pela sua autenticidade.
Em 1993, veio o segundo LP e também o primeiro CD "Nos Tempos de Rodeio" pela gravadora ACIT, com uma linha de compositores de destaque no Sul.
Em 1995, o segundo CD (Terceiro disco do Conjunto) "Teu Olhar", repertório bem comercial, bailável e campeiro, contando com apoio de grandes compositores como Elton Saldanha, Telmo de Lima Freitas, Oscar dos Reis entre outros.
No início de 1996 começamos a preparar o novo CD, sentimos a necessidade, baseada em recentes viagens pelo Brasil, em homenagear aqueles gaúchos que partiram em busca de um novo horizonte.
Em 1997 nascia nosso quarto disco (terceiro CD), "Brasil de Bombacha". Em parceria com o Dr. Léo Ribeiro de Souza, nasceu a música Brasil de Bombacha , que teve participação no programa Vida de criança, vinculada a TV Globo e canal Futura.
Em 1999, foi lançado nosso quarto CD (quarto CD) "Cantando o Rio Grande", com este trabalho, OS Tiranos receberam o prêmio de "Legítimo Representante da música Autentica Serrana".
Em 2000, com a comemoração os 10 anos de existência do Conjunto OS TIRANOS, foi lançado o (quinto CD) "10 anos - Estampa da Tradição", onde está atingindo recorde de vendas dos CD's até aqui lançados pelo conjunto. Totalizando nestes dez anos seis discos.
Em 2002 o sétimo CD "Trancaço" um trabalho bem maduro e produzido, onde está atingindo recorde de vendas com a chegada da nova estrutura do Conjunto, fruto de 12 anos de trabalho que se completa com a música apresentada em Shows e Bailes realizados em todo o Brasil por Os Tiranos.
Em setembro de 2004 Os Tiranos vão novamente a estúdio para gravar o oitavo cd da carreira onde despontou as músicas, uma a que empresta o título ao cd, "De um Canto Saudade" composição inédita de Régis Marques, colega do Grupo Rodeio que fez esta composição especialmente para Os Tiranos, também a milonga "Esse teu jeito" letra de Léo Ribeiro e música de Angelo e Ricardo Marques.
Em maio de 2006 na Festa do Pinhão em São Francisco de Paula, foi gravado o CD e DVD 15 anos ao Vivo, onde resgatamos sucessos desde os primeiros trabalhos até os que foram atualmente gravados como: Bailando o Chamamé, Brasil de Bombacha, Gaúchos do Litoral, Cancioneiro das Coxilhas, Fim de Semana, Eu Sou da Serra, De um Canto Saudade, Rodeio da Saudade, entre outras. Nesta oportunidade em meio as regravações gravamos uma música inédita, a vaneira "Paleteando" letra de Ivacir soares grande poeta da Lapa/PR e música de Angelo e Ricardo Marques.Em março de 2007 foram captadas algumas imagens do Rodeio do CTG Campo dos Bugres, Caxias do Sul/RS, que veio somar no DVD, que está aí com grande sucesso de vendas, graças a Deus.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Banda Munique

História da Banda Munique

-Fundada em 07 de abril de 2007

-Tem como sede a Rua Canadá nº 338 Bairro Nações na cidade de Concórdia SC.

-Fundadores foram: Maico Fabrício Welter, Laurindo Pedro Welter Jorge André Welter e Olindo Aquiles Cassol.

-O primeiro grupo que compôs a Orquestra Munique, veio de outras bandas e gente nova na música porem com muito recurso.

-Tinha como objetivo, resgatar a música de banda orquestrada, pois na nossa região já não havia mais banda do gênero.

-Nossa proposta era entrar no mercado dos bailes de Chopp, Kerb, Oktober, festas típicas alemãs como objetivo maior.

-Aos poucos fomos abrindo espaço para outros gêneros e nossa agenda foi crescendo e fomos conquistando o mercado em geral.

-No nosso primeiro ano de trabalho, gravamos o 1º CD (Noites Quentes), produção independente, mas que nos abriu as portas de muitas Rádios e Sociedades para começar a trabalhar. A música de trabalho levou o nome do CD.

-Quando completamos 2 anos de existência, já tínhamos nosso nome no conceito de muitos empresários do ramo e de muitas Rádios que tocavam nossa música. Já tocávamos em grandes eventos e nosso nome já era conhecido na região sul do Brasil.

-Com a gravação do nosso 2º CD (O melhor da música alemã), o nosso trabalho também ficou mais acessível aos empresários e Sociedades que passaram a nos procurar para seus eventos, abrindo caminho para os estados do Norte.

-Já completamos 3 anos e nossa estrutura é das melhores na região. O investimento valeu a pena, pois o retorno será certo desde que nosso trabalho continue a crescer e possamos atingir nosso objetivo. Trabalhar com a música para alegrar as pessoas.

Este ano no mês de Março lançamos nosso terceiro CD com Musicas bem variadas para os mais diversos gostos musicais, tendo como musica de trabalho, Um Adeus, ja esta sendo executada nas radios do Sul. Tambem a Musica tipica A Turma da Paz.


Discografia da Banda Munique

Noites Quentes

O Melhor da Música Alemã

Um Adeus


Banda Porto Do Som



Histórico:

A banda foi fundada no dia 1º de agosto de 1999, na cidade de Feliz/RS. O estilo, inicialmente, era um tanto eclético. No ano de 2006, a banda firma parceria com a Gravadora vertical, de quem passa a ser contratada. O lançamento de A MINHA ALMA TE ESCOLHEU foi um marco criativo da carreira. A canção “Talvez Seja Amor” promoveu o nome da Porto do Som e encantou o público de Santa Catarina e Paraná. A partir daí, com nova gravadora, novo visual, idéias arejadas e com a contratação de Xandi (vocalista e compositor), a banda definitivamente despontou nas paradas de sucesso.

Em 2007, o 7º álbum AS CORES DA VIDA veio pra confirmar a identidade e a união da Porto Do Som. Os hits “5 Dias”, "Me Leva Pra Tua casa”, ”As Cores da Vida” e ”Saudade” colocaram a banda, no final de 2008, entre as 10 mais cotadas do Sul do Brasil (fonte: Revista Superbandas).

Em 2009, o lançamento do CD intitulado O MAPA DA FELICIDADE reafirmou a qualidade sonora e o talento dos músicos que integram a Porto do Som. As músicas "Previsão do Tempo", “Mapa da Felicidade” e "Bella" foram as principais responsáveis por fazerem a banda terminar o ano em 7º lugar entre as bandas tocadas, nas emissoras de rádio do gênero, em todo o sul do país (fonte: Revista Superbandas).

Já em 2010 gravou seu novo CD com 13 músicas inéditas, aonde a música “salada de frutas” marcou o pontapé inicial desta nova etapa e fechou o ano entre as 3 músicas mais tocadas do segmento em todo o sul do país (fonte: Revista Sulbandas).

Rainha Musical

O Jazz Rainha, como era conhecido, foi fundado por volta de 1920, por Leopoldo Martini, naquela época integrante da banda e morador do distrito de Vale Real, São Sebastião do Caí - RS.

Em 1962, a banda infelizmente encerrou suas atividades, voltando a se restabelecer e em1966 por iniciativa de Armando Kasper.

A maior dificuldade do grupo na época, eram os meios de transportes muito precários para fazer os translados até os locais de suas apresentações.

No mesmo ano, o Rainha reformulou a banda substituindo os seus integrantes. O primeiro disco foi gravado em 1981 e até hoje já foram gravados dezenove discos, um DVD e um Disco de Ouro.

Desde a primeira gravação fonográfica, Valdemar Hoffmeister e Paulo Fey, ambos de Ivotí - RS (na qual é o município sede atual do grupo), se mantiveram unidos em prol do desenvolvimento e do sucesso do Rainha Musical. Em 2010 Adriano Felipe Marques passou a fazer parte da direção do grupo.

4 POR 4 BANDA SHOW



Apenas o Começo!

Somos de uma família de músicos. Nossos pais, avós, tios, trabalharam sempre com música e formaram a banda Corpo e Alma. Assistir aos ensaios, bailes, etc, Foram fatores que engrandeceram a nossa paixão por isso. Nossa história no meio musical vem desde a infância, participamos de festivais, eventos escolares, fazendo música ao vivo em bares...
A idéia de criar uma banda já existia à muito tempo, mas foi exatamente num jantar em família que a idéia amadureceu. De certa forma nos aventuramos, uma vez que, deixamos de lado objetivos que tinhamos para ir atrás de um futuro até então incerto. Hoje, temos a música como profissão, felizmente, a Banda 4 POR 4 tem cerca de 7 meses de muita dedicação, persistência e sonhos...
Alyne Eichelberger é estudante do 6º semestre de graduação do curso de Psicologia. Anna Cristina Eichelberger é estudante da 2º série do Ensino Médio. Ambas foram incentivadas pelos pais, que sempre dão a maior força. Marcos Eliase Eichelberger trabalha em estúdio, gravando bandas, duplas, etc. E sempre escrevendo músicas. As filhas são suas maiores fãs. Otávio Hoff dedica sua vida a guitarra, passa o dia inteiro ensaiando, cara toca muitooooo.
Achamos bacana a idéia dos 3 mosqueteiros, a fala deles é a seguinte: Um por todos e todos por um. No nosso caso não se tratam de 3 pessoas, e sim de 4. Então, trabalhamos um pouco a idéia, e ficou, 4 POR 4, e é o que somos 4 pelos 4.


Alyne Eichelberger: lynekyrida@hotmail.com (055 96189329)
Anna Cristina Eichelberger: anna-eichelberger@hotmail.com (055 99451818)
Marcos Eliase Eichelberger: marcoseliase@hotmail.com (055 99859035)
Otávio Hoff: (055 96082891)

Contatos para Eventos: (55)9964-5252 Nilson(Coruja)

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Banda Real do Paraná



Em novembro de 1993 surgia no Oeste do Paraná a Banda Real. Originalmente composta por seis integrantes: Paulo, Sidnei, Mauro, Garcia, Padre e Jacó. Movidos pela paixão por música e pelo aval de um grande empresário do Mato Grosso, Scalabrin Promoções, conquistaram muitos corações nos palcos por onde passaram levando alegria, emoção e carinho a todo público.

No ano de 1998 é gravado o primeiro álbum ‘Amo Sim’. Seguiram-se ‘De Braços Abertos’ em 1999. Em 2001, a Banda grava o álbum ‘Viúva Negra’ com sucessos como ‘Nosso Encontro’, ‘Meu Maior Presente’ com o título do álbum se tornando uma das identidades da Banda. Em 2002 nasce o álbum ‘Sapinho na Boca’, em 2004 vem ‘Ponto de Ônibus’ trazendo também ‘Transplante de Coração’.

2006 trouxe um clima apaixonante e também o 6º álbum da Banda Real ‘Pra Quem Já Viveu Um Grande Amor’. Neste álbum, dedicado aos amantes, estão ‘Quero lhe ver sorrindo’, ‘Lágrimas de Sangue’, ‘Nosso Noivado’. É só conferir!

Das grandes conquistas: muitos fãs por todo o Sul e Centro Oeste do Brasil; uma grande estrutura de equipamento de som e luz; transporte próprio; discografia emplacando grandes sucessos; e uma certeza: a grande Família Real do Paraná cresce cada dia mais.

Obrigado a todos os amigos, fãs e colegas. Um abraço!

A banda hoje já está no seu 10° trabalho "90% Mais Mulher"

Fonte:
www.bandarealdoparana.com.br